Páginas

13 de dezembro de 2012

Turismo de Aventura Especial em Socorro

Desta vez, eu e meu companheiro de aventuras, Márcio, fomos conhecer a cidade de Socorro, a cerca de 130 km de São Paulo. Desde o início já sabíamos o que nos esperava: muita adrenalina! A previsão do tempo desanimou um pouco, mas bem diferente do que foi anunciado, o sol esteve presente na maior parte do nosso passeio. 


Calçada para deficientes visuais no Hotel Fazenda Campo dos Sonhos 
Considerada a capital brasileira da acessibilidade, a cidade tem calçadas adaptadas e a maioria dos estabelecimentos oferece ou disponibiliza estrutura para cadeirantes e informações em braille. Para vivenciarmos a importância de um projeto como este, o guia Alberto Cardoso propôs que nós vendássemos os olhos, antes de chegar ao primeiro ponto turístico.



A sensação de ficar sem enxergar foi bem estranha, eu dependia de alguém e não sei por qual motivo parei de falar! Ao chegar ao destino, o vento de encontro ao meu rosto não negava que se tratava de um lugar bem alto: o Cristo Redentor.

Consegui ter uma ideia da paisagem na minha frente, graças à descrição de algumas pessoas. Pude então entender a importância em desenvolver o Turismo de Aventura Especial para proporcionar aos portadores de deficiência física a emoção de conhecer novos lugares. 


Vista panorâmica da cidade do Cristo Redentor.
E, põe emoção nisso! A nossa aventura começou com o rafting pelo rio do Peixe. O percurso pode ser de 4 ou 7 km, nós fizemos o primeiro. O rio estava abaixo do nível, mas fiquei surpresa com o número de botes descendo as corredeiras. Tudo com segurança, é claro! 

Embora o nome da cidade seja em homenagem a Nossa Senhora do Socorro, ele combina muito bem com a palavra que muitos têm em mente quando se depara com uma corredeira ou com um abismo, antes de engrenar tirolesa abaixo: SOCORRO!

Tirolesa do Pânico 
No Parque dos Sonhos, os nomes das tirolesas já falam por si só: Pânico, Espanto e Calafrio. A primeira tem 1 km de extensão e fica a 140 metros de altura. Nela também é possível experimentar a Tirolesa Voadora, para quem tem a coragem de experimentar a atividade estilo super-homem (deitado). As outras duas tirolesas são menores e mais baixas, mas, de qualquer forma, mexe com a adrenalina de qualquer um. 

Todas as atividades de aventura em Socorro podem ser praticadas por portadores de deficiência, mas é bom sempre procurar empresas certificadas. Diversos parques que oferecem atividades ao ar livre, de acordo com o perfil de cada visitante. 

A cidade também possui atividades para famílias menos aventureiras. No Campo dos Sonhos, por exemplo, o passeio de trator leva as crianças para alimentar animais, como avestruz, lhama, búfalo, entre outros.  

Passeio de trator no Campo dos Sonhos
Há também o Roteiro Rural, que pode começar com um delicioso café da manhã no Rancho Pompéia, situado numa aconchegante casa de 1928. O casal Meneguetti recebe os visitantes com mesas repletas de pães e bolos caseiros, geleias e queijos frescos. No fogão à lenha, canjica, milho verde, café com leite, bolinho de chuva e aipim cozido. “O cheiro de café ajuda a resgatar as raízes da roça”, explica Márcia. Isso, sem contar que os grãos são torrados e moídos no próprio local.  

Café da manhã no Rancho Pompéia
Outro ponto de destaque neste roteiro é a Fazenda Sant’Ana, de 1898, que possui um pequeno museu, com artefatos e mobiliários da época do café. 

A vida noturna de Socorro acontece no charmoso centrinho, onde moradores e visitantes ficam reunidos na praça Matriz, sentados diante em mesas nas calçadas de bares e restaurantes.  

Jota Bar
Além da acessibilidade, os empresários de turismo de Socorro são bem unidos quando o assunto é a preservação. Só na pousada Recanto dos Manacás, onde ficamos, há uma área de reflorestamento. Além disso, os proprietários estão engajados em diversas ações de sustentabilidade isso renderia uma outra matéria. 

Pousada Recanto dos Manacás
Na pousada, o aquecimento é solar, pois fazem captação da água da chuva, utilizam lâmpadas econômicas, os produtos vêm de fornecedores regionais e há coleta seletiva de lixo. 

Pomar orgânico da pousada Recanto dos Manacás.



Onde ficar

Onde comer
Jota Bar
Restaurante A Figueira

O que fazer
Casarão Alcindo de Oliveira
Cristo Redentor

Sugestão

Um comentário:

Denise Bomfim disse...

Salam, Fabrícia!

Amei ver as fotos e ler sobre como a preservação da natureza e do senso de harmonia entre as pessoas é uma realidade em Socorro.

Um beijo,
carinho,
Denise.